Trabalho informal: saiba como incluir no currículo

COMPARTILHE
Trabalho informal no currículo

O número de pessoas em situação de informalidade tem aumentado constantemente, principalmente diante da crise econômica mundial.

O trabalho informal para alguns é a solução para ter estabilidade financeira até conseguir um emprego formal. E para outros já se tornou uma boa fonte de renda.

Independente disso, a verdade é que o trabalho informal pode contribuir para o currículo, proporcionando maior experiência para a carreira do profissional.

Portanto, há muitos candidatos que se prejudicam ao não mencionar as experiências obtidas com o trabalho informal.

Contudo, é importante considerar que muitas pessoas têm dúvidas de como incluir essas experiências profissionais no currículo.

Desta forma, se você também tem essa e outras dúvidas como incluir o trabalho informal no currículo, confira a seguir tudo que você precisa saber!

O recrutador se importa com o tipo de vínculo trabalhista?

Essa é uma dúvida muito comum e é o principal motivo para que os candidatos não incluam suas experiências informais no currículo.

Afinal, será que o recrutador considera o vínculo trabalhista? O trabalho informal possui a mesma credibilidade? Será que o vínculo trabalhista é mais importante que o conhecimento ou experiência adquirida pelo candidato?

Não é possível falar por todos os recrutadores, mas sabemos que o vínculo trabalhista possui certa relevância.

Quanto mais formal, oficial e comprovado é a experiência profissional, essa informação tem mais credibilidade.

No entanto, isso não significa que por ter uma experiência informal ela não será válida para o recrutador.

Para alguns, o conhecimento e a experiência que o candidato adquiriu com determinada atividade são fatores mais importantes do que a comprovação com registro em carteira.

Para outros, o vínculo trabalhista será mais importante. Independente disso, sempre vale a pena incluir trabalho informal no currículo, já que essa experiência será vista como algo a mais que você obteve em sua carreira.

Veja Também: Saiba tudo sobre a carteira de trabalho digital

Quando incluir trabalho informal no currículo?

A procura pelo trabalho informal em momento de crise é algo comum para qualquer carreira.

Por isso, muitas pessoas que recorreram a informalidade como alternativa deve informar tais experiências no currículo quando elas forem relevantes.

No entanto, há algumas situações que são altamente recomendadas que o candidato inclua a atividade autônoma no CV.

Sendo assim, veja a seguir quando você deve incluir o trabalho sem registro no currículo.

Quando a experiência do trabalho sem registro ocorreu durante um tempo razoável

Nesse aspecto, é importante ter o cuidado de mencionar experiências que tiveram uma certa duração e constância.

O contrário disso poderá acabar prejudicando o candidato, mostrando que ele não tem consistência, por exemplo.

Quando o último emprego formal ocorreu há muito tempo

Se o último registro em carteira que você tem ocorreu há mais de 1 ano, por exemplo, é interessante informar quais atividades você excerceu ao longo deste intervalo, desde que tenham sido constantes e por tempo razoável.

Veja Também: Como voltar ao mercado depois de muito tempo afastado

Como incluir no currículo um trabalho informal?

Incluir o trabalho informal no currículo é mais simples do que você imagina. Essas informações deverão ser descritas nas experiências profissionais do candidato, assim como as experiências com registro em carteira.

A única coisa que mudará, nesse contexto, é que sua atividade autônoma não terá a menção de uma empresa ou contratante.

Todavia, para que fique mais fácil e simples de entender, a seguir você encontrará algumas dicas de como incluir o trabalho informal no currículo.

Reúna suas experiências de trabalho informal

Faça uma reflexão de todas as suas experiências profissionais de trabalho sem registro em carteira que sejam interessantes para seu currículo.

Você deve anotar cada uma dessas experiências, bem como quando ocorreram, o que aprendeu com elas e quais funções você realizava.

Descreva a atividade autônoma nas experiências profissionais

Com todas essas anotações em mãos você poderá iniciar o segundo passo que é inseri-las em seu currículo.

O local ideal para colocar o trabalho informal no currículo é nas experiências profissionais, como já mencionado.

É neste campo que todas as suas experiências devem ser descritas, inclusive as de trabalho sem registro.

Use um padrão para descrever o trabalho informal no CV

As suas experiências profissionais devem ser descritas de forma padronizada para não gerar uma poluição visual no CV e proporcionar uma leitura agradável.

A seguir você encontra um exemplo de como mencionar a atividade autônoma no currículo.

Para este exemplo, usamos uma atividade bastante comum no trabalho informal, que são os serviços de marketing.

Atividade autônoma
Período trabalhado: Abril/2020 – Atual

Funções desempenhadas: Planejamento da melhor forma de comunicação da empresa, gerenciamento de comunicação, gerenciamento de produção multimídia, desenvolvimento de campanhas promocionais e planejamento e controle de campanhas no Google Ads, Instagram Ads, Facebook Ads.

Resultados obtidos: Aumento das vendas da empresa por meio de campanhas elaboradas no planejamento de marketing.

Perceba neste exemplo que o nome da empresa não é mencionado, já que a atividade é caracterizada como trabalho sem registro.

Mencione apenas experiências reais e relevantes

Se você é alguém que já realizou diversas atividades na informalidade, sendo que essas atividades hoje em dia não agregam para sua carreira, talvez seja interessante não mencioná-las.

A ideia é que a atividade autônoma que será mencionada tenha relevância para sua carreira atual.

Aliás, é sempre importante lembrar que mentir no currículo é um grande erro e pode arruinar sua contratação.

O mesmo deve ser considerado para atividades sem registro em carteira. Nunca crie experiências fictícias, afinal, todas as habilidades, funções e conhecimentos mencionados poderão ser testados no momento da entrevista.

Dê referências para comprovar sua experiência

Embora o trabalho sem registro em carteira tenha uma menor credibilidade se comparado ao emprego formal, é válido lembrar que você pode dar referências para comprovar sua experiência.

Ou seja, você pode citar alguém responsável pela sua contratação na empresa onde atuou informalmente. Assim será mais fácil para o recrutador conferir se a experiência que você incluiu no currículo é verdadeira.

Fazendo isso, você já passa automaticamente uma credibilidade maior para sua atividade informal. Portanto, inclua também uma referência profissional informando a função dessa pessoa na empresa e um telefone para contato.

Agora que você já sabe que o trabalho informal também é importante para sua carreira, inclua essa experiência em seu currículo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *