Uso excessivo de celular prejudica o sono e a produtividade

profissional usando o celular para trabalhar

Você sabia que o uso excessivo de celular pode prejudicar a qualidade do sono e a produtividade no trabalho?

Com uma maior adoção do home office e diminuição das reuniões presenciais, passamos a usar ainda mais o celular no dia a dia. Por isso, essa ferramenta tão útil pode acabar sendo um problema.

Veja os impactos que o uso exagerado do celular pode causar e saiba como evitar esse problema.

O vício em celular

A nomofobia (abreviação do inglês NO MObile PHOne phoBIA) é o medo irracional de ficar sem o telefone celular ou ser incapaz de usar o telefone por algum motivo, como ficar sem bateria ou sinal.

O vício em celular pode provocar diversos sintomas, físicos e psicológicos. Alguns exemplos são:

  • dores na coluna;
  • privação do sono;
  • problemas de visão;
  • depressão;
  • ansiedade;
  • angústia.

Atualmente, 39% da população mundial usa o celular para acessar a internet. Por isso o vício é uma tendência global.

De acordo com estudo realizado em outubro de 2018 pelo CGI, os brasileiros ficam em média nove horas por dia conectados à internet.

Os apps mais utilizados pelos brasileiros são os de redes sociais como o WhatsApp, Facebook, Instagram e TikTok.

Sintomas da Nomofobia

Quer saber se você é viciado em celular? Então confira abaixo alguns sinais de alerta:

  • Você é incapaz de desligar seu telefone;
  • Verifica obsessivamente chamadas perdidas, e-mails e mensagens no WhatsApp;
  • Carrega a bateria do celular constantemente, mesmo quando não é preciso;
  • Verifica as redes sociais a todo instante;
  • Se irrita quando está em um lugar sem internet;
  • É incapaz de ir ao banheiro sem levar o telefone com você.

Impacto negativo na produtividade

Apesar de ser uma ferramenta útil para quem trabalha, o uso excessivo do celular no ambiente de trabalho pode diminuir a produtividade.

De acordo com pesquisa realizada pela Kaspersky Lab, o uso de celulares causa distração e pode reduzir a eficiência no trabalho.

O estudo mostrou uma correlação entre os níveis de produtividade e a distância entre os participantes e seus smartphones.

Com os dispositivos fora de alcance, o nível de desempenho foi 26% melhor.

O experimento foi realizado com 95 pessoas com idades entre 19 e 56 anos, nos laboratórios das Universidades de Würzburg e Nottingham Trent.

Celular atrapalha o sono

O hábito de usar o celular na cama faz com que você ultrapasse o horário de dormir. Então, com menos tempo para descansar, a qualidade do sono diminui.

Além disso, no dia seguinte você pode ter sonolência diurna e mau humor.

Da mesma forma, o que você faz no celular também pode ser um problema. Ou seja, o conteúdo pode ser estimulante e atrasar o relaxamento necessário para você pegar no sono.

A luz emitida pela tela do aparelho também causa um grande impacto no organismo. Afinal, isso afeta o relógio biológico e a percepção do cérebro do que é dia ou noite.

Como resolver o problema do uso excessivo de celular?

Se você é viciado em celular, os especialistas apontam alguns cuidados que devem ser tomados. Veja quais são:

1. Determine limites

Desligue-se do aparelho em alguns momentos do dia. Da mesma forma, tente realizar outras atividades fora das telas.

Por exemplo, não faça refeições com o aparelho próximo. Além disso, antes de dormir, desligue ou deixe o celular no modo avião.

2. Não use o celular antes de dormir

Antes de dormir, passe um tempo sem usar o celular. Isso ajuda na qualidade do sono e na produtividade no dia seguinte.

Faça o mesmo logo depois de acordar. Se possível, evite ler emails ou mensagens no WhatsApp antes do café da manhã.

3. Faça um detox digital

Outro conselho recomendado por especialistas é o chamado detox digital. Ou seja, passar um dia inteiro sem usar aparelhos eletrônicos.

Mas você não precisa fazer isso já na primeira tentativa. A dica é ir aumentando gradativamente o tempo longe das telas, até conseguir ficar fora delas por um dia inteiro.

Essa prática serve para melhorar a produtividade no dia a dia e também ajuda na saúde mental.

COMPARTILHE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *