Início » Carreira » Coeficiente emocional: saiba o que é e qual sua importância

Coeficiente emocional: saiba o que é e qual sua importância

Imagem que ilustra a importância do coeficiente emocional

O coeficiente emocional é um termo em evidência hoje em dia. Mas, ainda é comum encontrar profissionais bem qualificados que desconhecem a importância deste assunto.

O pensamento de que um profissional é contratado por sua capacidade técnica mas demitido por seu comportamento em médio e longo prazo é um bom exemplo disso.

Portanto, como este tema é relevante para uma carreira de sucesso, vamos falar sobre o coeficiente emocional.

Você vai entender o conceito, os pilares da inteligência emocional, como medir e como melhorar o seu coeficiente emocional.

O que é quociente emocional?

O QE (Quociente Emocional) é um complemento dos estudos sobre QI (Quociente de Inteligência).

Ou seja, o termo define a capacidade intra e interpessoal de cada indivíduo lidar com as emoções de forma sábia.

De acordo com o escritor Daniel Goleman, é mais importante saber lidar com as emoções do que processar informações e possuir uma excelente bagagem técnica.

Em resumo, controlar as emoções é mais importante que ter vasto conhecimento técnico.

Inteligência emocional é mais importante que QI?

Para Goleman, todo o sucesso obtido por um profissional tem 80% de contribuição do QE. Os 20% restantes são por conta do QI.

Sua afirmação sobre o assunto deixa claro um ponto importante, mas que muitos profissionais não valorizam.

Ou seja, não adianta possuir um conhecimento técnico acima da média se as emoções e relações com outras pessoas forem ruins.

Veja Também: Inteligência emocional é mais valorizada que QI

O conceito de quociente emocional criado por Goleman é uma das maiores contribuições sobre o assunto. Afinal, isso corrobora e engloba importantes pesquisas e estudos realizados nesta área.

Goleman publicou em 1995 o best seller Emotional Intelligence, uma referência sobre inteligência emocional muito utilizada até hoje.

O tema se popularizou a partir do best seller de Goleman. Além disso, a linguagem atrativa e acessível utilizada pelo autor também ajudou.

Pilares da inteligência emocional

Seguindo o modelo clássico sobre coeficiente emocional estabelecido por Goleman, há 5 pilares da inteligência emocional que devem ser explorados.

Os três primeiros são de ordem intrapessoal e os últimos de ordem interpessoal. Veja quais são:

1. Ter conhecimento de suas emoções

No primeiro pilar é fundamental que o indivíduo possua autoconsciência de sua capacidade de assimilar emoções e entender o básico sobre o mecanismo envolvendo suas emoções.

2. Saber controlar suas emoções

O conceito de autorregulação do estado emocional é firmado no segundo pilar. Essa é a habilidade do indivíduo de gerenciar seus sentimentos o melhor possível.

3. Automotivação

A motivação que parte do próprio indivíduo é importantíssima e funciona como um combustível para viver e trabalhar.

Mas, por estar ligada diretamente às emoções, é uma etapa que deve ser trabalhada com sabedoria.

4. Empatia

Saber se posicionar e se pôr no lugar do próximo é uma das principais qualidades de uma pessoa.

Mas, para Goleman, esse conceito é ainda mais profundo e deve considerar que as pessoas ao seu redor também estão aprendendo a lidar com as emoções delas.

5. Focar no relacionamento interpessoal

Você deve trabalhar as relações humanas com sabedoria, sempre visando a superação mútua de obstáculos.

Então, já que essas relações humanas são uma necessidade, elas devem ser construídas visando o bem geral de todos os envolvidos.

Coeficiente emocional vs Coeficiente intelectual

A inteligência emocional é a habilidade de uma pessoa reconhecer e operar seus sentimentos e emoções e também os sentimentos e emoções de outras pessoas.

Portanto, saber gerir os sentimentos, emoções e relações humanas respeitando as outras pessoas, define uma pessoa que possui inteligência emocional.

Já o QI (Quociente Intelectual) é definido por um conjunto de testes padronizados que conseguem mensurar a capacidade cognitiva de um indivíduo.

Esse é considerado um dos aspectos da inteligência humana. Afinal, a inteligência de um ser humano engloba o emocional e o intelectual.

O teste mais promissor para mensurar a inteligência intelectual de alguém é o teste de QI.

imagem de equipe de trabalho
No mercado de trabalho, o coeficiente emocional é mais valorizado que o QI. Por isso, todo profissional deve dar atenção a este tema.

Como medir o coeficiente emocional?

Atualmente é possível fazer testes para medir a inteligência emocional. Além disso, é possível estabelecer o grau de evolução dessa área em cada pessoa.

O teste é portanto, uma ótima oportunidade de autorreflexão. Ou seja, ele indica a capacidade de uma pessoa lidar com suas emoções e gerenciar críticas com resiliência.

Mas empresas também investem nos testes. Por isso os recrutadores utilizam testes na fase de avaliação de candidatos.

Você pode fazer testes através de sites especializados e aplicativos.

Veja Também: Teste de Personalidade Gratuito

O aplicativo “Inteligência Emocional” é um bom exemplo. Ele ajuda a mensurar a inteligência emocional de uma pessoa de forma simples e intuitiva.

Há também aplicativos como o Happify, Brain.fm e o Sanvello. Estes são boas opções para ajudar a gerenciar a saúde mental no trabalho.

Mas o melhor é buscar uma avaliação séria com especialistas sobre o assunto. Existem psicólogos especializados nesta categoria de avaliação.

Isso irá fornecer uma avaliação muito mais confiável. Além disso, é possível fazer um acompanhamento do grau de evolução de sua inteligência emocional.

Como melhorar o coeficiente emocional?

Por fim, é possível avaliar e desenvolver a inteligência emocional com mudanças de comportamento programadas.

Sendo assim, veja como melhorar o coeficiente emocional colocando em prática 10 atitudes simples:

  1. Observe seu comportamento diariamente;
  2. Busque dominar suas emoções;
  3. Trabalhe as emoções negativas;
  4. Eleve o grau de autoconfiança;
  5. Saiba lidar com a pressão psicológica;
  6. Não tenha medo de expor seus sentimentos;
  7. Esbanje empatia;
  8. Seja alguém resiliente;
  9. Formule uma resposta com reflexão em vez de somente reagir;
  10. Explore e respeite seus limites.

Ficou com alguma dúvida sobre o coeficiente emocional? Então deixe um comentário que responderemos.

COMPARTILHE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.