Nome sujo não pode impedir contratação, determina projeto de Lei

COMPARTILHE
Inadimplência e o novo emprego

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) apresentou o Projeto de Lei do Senado (PLS) 781/2015 com o intuito de proibir que o empregador consulte os Órgãos de Proteção ao Crédito afim de selecionar o seu futuro empregado.

Crivella considera a prática, em que empresas consultam serviços de proteção ao crédito antes de decidir sobre a contratação do empregado, discriminação.

O senador argumenta que muitas pessoas se endividam e ficam com o “nome sujo” justamente por terem perdido o emprego.

“Esse é um paradoxo terrível, em razão do círculo vicioso insolúvel que cria: o trabalhador permanece inadimplente por falta de emprego e não consegue emprego em razão da inadimplência” aponta ele na justificação do projeto.

Veja Também: Como conseguir emprego após os 40 anos

“Nome sujo” não pode impedir contratação de trabalhador

O senador pondera que as empresas têm atualmente liberdade para contratar, mas não contratar alguém com nome “negativado” é atentar contra a liberdade do trabalho e contra o princípio da dignidade da pessoa humana.

“O desiderato desta proposição é, por um lado, respeitar o direito atribuído ao empregador e, por outro, o de assegurar que os candidatos possam concorrer às vagas de emprego de forma imparcial e que as garantias constitucionais do direito ao trabalho, à igualdade, à dignidade da pessoa humana, bem como o combate a qualquer prática discriminatória, possam ser asseguradas e respeitadas nos processos de seleção” sustentou.

A proposta altera o Código de Defesa do Consumidor e a Lei 9.029/2015, que trata da proibição de exigir atestados de gravidez e de esterilização, além de outras práticas discriminatórias, para efeitos admissionais.

O projeto está na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e tem prazo aberto para recebimento de emendas.

Não deixe de ler: O que chama a atenção em um currículo?

Consulta pública demonstra apoio ao projeto de Lei

Na página do projeto de Lei é possível ver o resultado da consulta pública onde 1529 pessoas votaram SIM (estão de acordo com o projeto), enquando 313 votaram NÃO (não concordam).

ATUALIZAÇÃO: O Projeto de Lei 781/2015 foi arquivado em 21/12/2018 com o estado “ARQUIVADA AO FINAL DA LEGISLATURA“.

Fonte: Agência Senado.

5 Responses

  1. Beatriz Costa 08/02/2016 / 13:36

    Concordo, estar com restrições não é motivo para não ser contratado.

  2. Helena 17/02/2016 / 00:57

    É uma excelente medida. As empresas devem contratar segundo as competências do profissional.

    • Cleu 19/02/2016 / 10:21

      Concordo Plenamente

  3. Cleu 19/02/2016 / 10:20

    Até que enfim alguém pra ajudar a muitos, principalmente nesse momento econômicamente difícil em nosso país.

  4. Priscilla Santos 19/12/2019 / 01:38

    Que pena que o projeto foi arquivado. Se a pessoa está com nome sujo, precisa mais do que nunca de um emprego para organizar suas dívidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *